terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Buzão de todo dia

Já que isso aqui é um blog, meu blog e um blog 100% pessoal, nada mais 'meu' pra contar aqui do que tudo que acontece na minha vida de buzão!
Falo buzão sim, porque sou caboca e enfim... Vou começar a escrever a saga : Buzão de todo dia...
Tive a idéia agora, mas já aconteceram tantas pérolas que merecem ser contadas, mas a memoria é falha e eu gosto de detalhes, sim muitos detalhes! Então conforme eu for me recordando eu vou contando...
A de hoje (22/02/10) só pra começar bem e mostrar que o buzão também tem o seu lado bom vai ser ligth!
Abordo do Maguari (buzão que eu mais temo na vida, o porquê fica pra outro dia), estou na Mundurucus na esquina da Castelo quando ouço as badaladas dos sinos da Igreja dos Capuchinhos,então olho para a direita e vejo o colégio Universo e graças ao nosso super cérebro faço involuntariamente uma ligação dos fatos ao meu redor e me lembro do meu anjo chamado Gilberto.
Ele era um amor aqui na Terra e foi virar anjo la no céu. Não dá pra falar que maldade e crueldade não existem, porque ele foi mais uma vítima, 17 anos, assaltado a mão armada, entregou tudo, sem alarde ou qualquer reação, após alguns metros, sem mira alguma ou sequer um objetivo um dos meliantes sacou seu 38 estendeu o braço para trás e disparou. A bala atingiu seu peito e lá dentro brincou de pira atingindo vários orgãos, inicialmente ele sentiu uma dor na perna, esse foi meu consolo quando me foi contada a historia, 'levou um tiro na perna, menos mal, graças a Deus' suspirei aliviada. Mas não, tinha sido apenas um reflexo, um truque da mente, ele passou por diversas cirurgias, erros médicos e burocráticos, algumas melhoras e por último o termino da dor!
Não há quem diga que não tenha sofrido ou derramado uma lágrima de saudade. E no dia de hoje o que me fez lembrar dele foi ao olhar para o céu e ver um raio de luz que tinha como alvo único a Igreja e no alto céu um único papagaio pairando e essa foi exatamente a cena que eu vi no dia do enterro, foi o que me fez calar o choro e sentir uma paz maior, a paz que ele ia ter eternamente. Te amo meu anjo Gilberto (L)
Não é ruim lembrar de quem gostamos, ainda mas quando sentimos uma estranha paz...

9 comentários:

Diego Oliveira disse...

Saudade é sempre bom. É ela que nos faz sobreviver na correria maluca da vida. Que Deus esteja cuidando do seu amigo (Anjo). E que ele cuide de vc também. Belo e regional texto. parabens

Enzo disse...

Puts Maria, que texto lindo. Eu me recordo há mto tempo atrás quando brincávamos em ficar escrevendo coisas bonitas, e és, realmente, boa nisso. :)

Sobre o Gilberto, infelizmente certas coisas acontecem sem explicação, coisas injustas que não podemos evitar. Deus ta cuidando dele, assim como ele, com certeza, tá olhando por ti.

Fica com Deus! :*

Paula Peniche disse...

oi! Não conhecia o seu blog e tô aqui dando uma passadinha! Belo texto!

[ Oliver ] disse...

Ele concerteza também esta sentido essa saudade de você. Muito lindo e emocionante teu texto,realmente é de coração.

Thomas disse...

Momentos como este nos fazem refletir como somos tão frágeis materialmente e nos motiva a buscar a evolução espiritual!!! Depois de cumprir a missão na Terra, com certeza, o Gilberto encheu o Céu com ainda mais luz!!!
Lindo o texto, Maria, parabéns! (A Ana Maria ia ficar toda orgulhosa heheeh)! bjus

larissa matos disse...

chorei..

Tanto disse...

Lindo lindo lindo o texto. Lindo Fernanda. Imaginar teu amigo tal qual um papagaio que brinca pelo céu, uma coisa tão alegre e divertida, o que sempre faz todos se unirem e brincarem, foi tão lindo! E se pretendias começar com algo leve, tenho de dizer que acho que começou pelo mais pesado: a dor da perda, a dor de não ter mais alguém que se gosta. Ufa...

Adorei.

Tanto disse...

Lindo lindo lindo o texto. Lindo Fernanda. Imaginar teu amigo tal qual um papagaio que brinca pelo céu, uma coisa tão alegre e divertida, o que sempre faz todos se unirem e brincarem, foi tão lindo! E se pretendias começar com algo leve, tenho de dizer que acho que começou pelo mais pesado: a dor da perda, a dor de não ter mais alguém que se gosta. Ufa...

Adorei.

Olívia Yale disse...
Este comentário foi removido pelo autor.